Submissão

 

Brazilian Journal of Health and Pharmacy

 

Diretrizes para Autores
Instruções aos autores para preparação e submissão de artigos

Antes de iniciar o processo de submissão, os autores devem verificar a conformidade de todos os itens
listados a seguir. Submissões que não estiverem de acordo com as normas serão devolvidas aos autores
para adequações.

Ao submeter o artigo ao e-mail, o autor correspondente deve encaminhar também, carta ao Comitê Editorial contendo a justificativa da originalidade, importância do trabalho e outras observações que julgar pertinentes (ex: é parte de uma dissertação ou tese, é originado de um trabalho de conclusão de curso ou monografia, etc). 

São recomendações da BJHP para providências antes da submissão:

1. Número ORCID dos autores: pelo menos do autor correspondente. Informações e registro gratuito
em https://orcid.org
2. Nome completo, instituição de vínculo e endereço de e-mail de todos os autores.
3. Regularidade de cadastro no Sistema Nacional de Gestão do Patrimônio Genético e do Conhecimento Tradicional Associado – SisGen quando pertinente. Verificar em https://www.mma.gov.br/patrimoniogenetico.html e orientações em https://sisgen.gov.br/download/Manual_SisGen.pdf
4. Número de aprovação em comitês de ética de pesquisa envolvendo seres humanos ou animais, quando for o caso.
5. As referências bibliográficas devem seguir as regras da Normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Verificar se pelo menos 50% das referências citadas tem número DOI vinculado.

Todos os documentos de submissão do artigo deverão ser enviados em conjunto para o e-mail: bjhp@crfmg.org.br

ITEM

INSTRUÇÃO

Condições

Serão aceitos trabalhos escritos em inglês ou português. Trabalhos submetidos em inglês terão preferência e deverão ter título e resumo também em português.

Manuscrito deve ser original e inédito e não estar sob revisão ou submetido para publicação em outra revista.

O artigo deverá ser enviado em Word para diagramação do formato geral da Revista.

Figuras, imagens e cópias de documentos (ex: CEUA, CEP, SIGEP) devem estar anexados individualmente em arquivos separados.  As imagens e gráficos devem estar em formato JPG,PNG ou TIFF, constando no nome do arquivo a sua referência em numeração em algarismos arábicos (Ex.: Figura 2) de acordo com a sua citação no texto. O formato para cópias de documentos deve ser em PDF. As tabelas devem ser enviadas na sequência correta do texto, dentro do artigo em word e em formato editável (não enviar ou anexar como imagem).  Legendas de imagens, tabelas e gráficos devem vir na sequência correta do texto no documento em word.

Para tabelas é opcional no texto ou em separado.

Para artigos de revisão e de opinião, os itens metodologia e resultados deixam de ser obrigatórios.

Não há restrições ao tamanho do manuscrito e número de referências utilizadas. No entanto, a coerência e necessidade das informações/texto apresentados serão avaliados quanto a qualidade.

Primeira página: títulos, autores, filiação e autor correspondente.

Página 2 em diante: outros tópicos em texto contínuo.

Formatação Geral do Manuscrito

Redação em coluna única.

Fonte Times New Roman

Regular, exceto quando indicado para negrito ou itálico

Tamanho 12

Justificado

Espaço duplo

Papel A4, margens direita, esquerda, superior e inferior de 2,5cm e páginas numeradas.

Citações de artigos no texto: sobrenome em letras maiúsculas seguido de vírgula e ano. Para dois autores colocar vírgula entre eles. Para três ou mais autores, colocar o sobrenome do primeiro autor seguido do "et al.“ seguido de vírgula e ano.

Título

Na língua oficial do artigo: português ou inglês

Negrito

Inicial apenas da primeira palavra em letra maiúscula, exceto para nomes próprios e científicos

Título na segunda língua: inglês ou português

Autores

Nome, nome do meio abreviado e Sobrenome em caixa alta. Autores separados por ponto e vírgula e algarismo arábico sobrescrito após cada autor, indicando a instituição. Se a instituição for única para todos os autores não é necessário usar número.

Indicação de autor correspondente por asterisco.

Filiação

Numerada contendo nome da instituição vinculada (incluindo departamento ou setor, se houver), cidade, unidade da confederação, país.

Autor Correspondente

Indicado por asterisco contendo nome completo, endereço, e-mail e telefone de contato, número ORCID.

Resumo/Abstract/Palavras-chaves/keywords

Em português e em inglês.

Máximo 260 palavras, contendo breve introdução que justifica a hipótese do trabalho, objetivo(s), principais métodos com detalhamento mínimo ao entendimento do trabalho realizado, resultados mais relevantes e conclusão. 

Palavras-chave: ao final do resumo, incluir de três a seis palavras-chave, separadas por ponto e vírgula (apenas a primeira inicial maiúscula), utilizando os termos apresentados no vocabulário estruturado (DeCS), disponíveis
em: www.decs.bvs.br

Introdução

Breve revisão da literatura justificando a hipótese, relevância e inovação do trabalho. Informar os objetivos do trabalho ao final. Recomenda-se no máximo duas páginas.

Metodologia

Descrição dos métodos e protocolos utilizados, de modo a permitir sua reprodução, podendo remeter a artigo já publicado da metodologia. Deve conter número de aprovação em comitês de ética de pesquisa envolvendo seres humanos ou animais, quando for o caso. Autorização de órgão competente (SISGEN no Brasil) para materiais biológicos e de origem natural. Os materiais deverão ser informados à medida que apareçam nos métodos. Denominação genérica ou IUPHAR para fármacos e IUPAC para reagentes químicos.

Resultados

Apresentados seguindo sempre que possível a ordem apresentada na metodologia. Sequência lógica que permita o entendimento da construção dos resultados. O texto não deve repetir ou duplicar os resultados de figuras e tabelas.

Discussão

Junto ou separado do item resultados. Apresentar a relevância e inovação dos dados obtidos à luz da literatura. Recomenda-se no máximo três páginas.

Conclusões

Redigida ressaltando o atendimento à hipótese inicial, sua importância e perspectivas.

Agradecimentos e financiamento institucional

Indicar nomes de pessoas que contribuíram em algum aspecto com o trabalho, mas que não participaram como autores. Informar as instituições financiadoras contendo número do projeto ou bolsa, quando for o caso.

Declaração de conflito de interesse

Indicar quando houver conflito de interesse incluindo informações mínimas necessárias para o seu entendimento. Escrever “nada a declarar”,  quando não for o caso.

Referências Bibliográficas

Recomenda-se no máximo 50 citações em todo o trabalho.
Pelo menos 50% das referências citadas devem ter o número DOI vinculado.
O estilo e formato das referências são baseados nas normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

MODELOS DE REFERÊNCIAS:

Artigo de revista: Citar nome de todos os autores do artigo: sobrenome seguido de vírgula e iniciais dos nomes separados por ponto (sem espaço). Separar os autores por ponto e vírgula. Título do artigo com a inicial somente da primeira palavra maiúscula, exceto para nomes próprios e científicos. Nome do periódico por extenso e em negrito, seguido de vírgula, volume, número, página inicial e final, ano.

Exemplo:

OLIVEIRA, L.G.T.; SOUZA, C.S.; DUARTE, A.C; BARBOSA, A.P. O descarte de insumos farmacêuticos em estabelecimentos de saúde. Brazilian Journal of Health and Pharmacy, v. 2, n. 1, p. 5-12, 2020.

Autores corporativos: Para referenciar autores corporativos (órgãos governamentais, entidades, associações, dentre outros), tem-se os exemplos a seguir:

BRASIL. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Especializada. Manual de apoio aos gestores do SUS: organização da rede de laboratórios clínicos. Brasília, 2003.


ANVISA. AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Resolução da diretoria
colegiada - RDC nº 17, de 16 de Abril de 2010. Dispõe sobre as Boas Práticas de Fabricação de Medicamentos. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2010/ res0017_16_04_2010.html. Acesso em: 25 ago 2020.


ANS. AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR. Diretrizes Assistenciais em Saúde Mental na Saúde Suplementar. Rio de Janeiro: ANS, 2008. Disponível em: http://www.ans.gov.br/images/stories/Plano_de_saude_e _Operadoras/Area_do_consumidor/diretrizes_assistenciais.pdf.
Acesso em: 26 ago 2020.

Monografia no todo

Citações de livros, somente quando não houver artigo publicado correspondente.
Como referenciar monografia considerada no todo com um autor: SOBRENOME, Prenome(s) (iniciais). Título em negrito. Edição. Local de publicação (Cidade): Editora, ano de publicação.
Com dois autores, exemplo:

AZEVEDO, F.A.; CHASIN, A.A.M. As bases toxicológicas da Ecotoxicologia. 1ª ed., São Paulo:
Rima, 2004.

Quando há mais de três autores, referencia-se apenas o primeiro seguido da expressão latina “et
al.” (sem vírgula), exemplo:

BRUNTON, L.L. et al. (ed). Goodman & Gilman’s: As Bases Farmacológicas da Terapêutica.
11ª ed., Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006.

CURI, R. et al. Fisiologia básica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2009.

Trabalhos acadêmicos: Documentos de dissertações de mestrado e teses de doutorado podem ser citados desde que estejam em repositório público. Para referenciá-los: SOBRENOME. Prenome (iniciais). Título da tese: subtítulo (se houver) em negrito. Ano da defesa. Tipo (Grau) – Instituição onde foi defendida, local (Cidade). Exemplo:

CHEQUER, F.M.D. Avaliação da capacidade de dano ao material genético pelos azo corantes Disperse Red 1, Disperse Red 13 e Disperse Orange 1: identificação e análise do potencial mutagênico dos seus produtos de biotransformação. 2011. Tese (Doutorado em Ciências: toxicologia). Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão
Preto /USP. Ribeirão Preto.

Antes de enviar o trabalho para submissão é importante e remondado que os autores analisem se o artigo contemplou todos os itens preconizados nos protocolos internacionais de escrita de trabalhos científicos, conforme cada deleineamento de estudo (Todos estes protocolos podem ser acessados em http://www.equator-etwork.org/). Como por exemplo:

1) Revisões Sistemáticas com ou sem metanálise devem seguir as recomendações do PRISMA (preferred reporting items for systematic reviews and meta-analyses)
2) Estudos pré-clínicos em animais devem seguir o ARRIVE (Animal Research: Reporting of In Vivo Experiments);
3) Estudos observacionais devem seguir as recomendações do STROBE (Strengthening the reporting of observational studies in epidemiology). Veja no site abaixo que há variações no check list, conforme o tipo de estudo observacional (caso-controle, transversal e coorte);
4) Ensaios clínicos devem seguir as recomendações do CONSORT Statement (Consolidated Standards of Reporting Trials);
5) Estudos de avaliação econômica devem seguir as recomendações do CHEERS (Consolidated Health Economic Evaluation Reporting Standards)
6) Estudos sobre protocolos devem seguir as recomendações do SPIRIT (Defining standard protocol items for clinical trials);
7) Estudos sobre prognósticos e diagnósticos devem seguir o STARD (An Updated List of Essential Items for Reporting Diagnostic Accuracy Studies);
8) Relatos e caso devem seguir o CARE (Consensus-based Clinical Case Reporting Guideline Development);
9) Estudos sobre protocolos na prática clínica devem seguir o AGREE (a tool to improve reporting of clinical practice guidelines);
10) Estudos qualitativos devem seguir o SRQR (Standards for reporting qualitative research: a synthesis of recommendations);


Para ter acesso aos check lists de todos estes protocolos acesse http://www.equator-etwork.org/.